2007-06-10

Lápide

Do pouco
apenas resta
musgo seco...
Uma pedra.
Letras quase apagadas
A Morte enfrentada,
Guardada sob as ervas
sem medo.
Da batalha, nem lembrança,
História ou ruína.
Apenas o traço duma lágrima
Uma lápide de lábios
Onde
A poesia fumega.
Farrapos de alma
emergindo das cinzas em flor...

6 Comentários:

Blogger Jorge Alves escreveu...

Belo post.

10/6/07 13:18  
Blogger Ana escreveu...

Pedra memória. Imortal.
Bj.

10/6/07 18:24  
Blogger Kanoff escreveu...

The year's at the spring,
And day's at the morn;
Morning's at seven;
The hill-side's dew-pearl'd;
The lark's on the wing;
The snail's on the thorn;
God's in His heaven-
All's right with the world!

11/6/07 13:26  
Blogger Dalila escreveu...

muito bom

12/6/07 10:41  
Blogger fairybondage escreveu...

Essa luta assinalada
Na rocha imortal
gravada
e das nossas memórias
afastada...
por ti de novo
relembrada!!!

mil beijinhos

12/6/07 10:55  
Blogger charlie escreveu...

A única imortal vencedora.
Sobrevivendo em dor enquanto houver memória.
Mas vencendo finalmente num triunfo de silêncio e esquecimento.
O seu reinado é o vazio.
O infinito é o seu corpo.
A sua duração, o não existir.
A Morte.
O fim do Fim.
O sentido do não sentir.

Um beijo cheio de vida para ti
FairyBondage

12/6/07 19:29  

Enviar um comentário

<< Home

Who Links Here